A corretora indica o melhor seguro de acordo com a atividade de produção

A legislação brasileira tem evoluído nas questões de penalidade e indenizações com relação a disposição de riscos ambientais. Empresas com potencial de gerar danos estão sujeitas a punições severas e obrigações perante a lei brasileira. Além da responsabilidade jurídica, as mudanças climáticas, como fortes chuvas e tempestades, também podem gerar crises ambientais como rompimentos de barragens, danos em instalações e até incêndios.

Considerando esses fatores, foi criado o Seguro de Riscos Ambientais, produto que tem como objetivo cobrir potenciais danos ao meio ambiente, a terceiros ou às próprias unidades do cliente. É um seguro voltado para atividades de produção, logo não atende ao governo, por este não ser um agente causador.

Muitas empresas desconhecem os riscos que a sua atividade pode gerar ao meio ambiente, por isso, necessita de suporte para identificar os riscos de seu segmento. A TRR possui uma área de engenharia que vai até a unidade, faz o trabalho de identificação de riscos, mapeia os danos e os principais focos de potenciais ocorrências. Desta forma, indica ao cliente a cobertura ideal de acordo com a sua atividade.

Existem várias coberturas especializadas como, por exemplo, em caso de vazamento de um produto químico em uma fábrica, precisa ser realizada a limpeza do local, conhecida como clean-up. Para solucionar o acidente, é necessário fazer um estudo de impacto ambiental e, muitas vezes, paralisar a unidade para restaurar a área contaminada. O seguro, nessa ocasião, cobre todos os custos, desde o déficit gerado pela parada da produção industrial, até potenciais danos físicos.

O Seguro de Riscos Ambientais também cobre danos à titularidade difusa ou coletiva. Isso significa que o produto oferece cobertura para acidentes que impactam propriedades da comunidade, como os rios, que não pertencem a uma empresa específica. Por exemplo, se o produto ou a atividade de uma indústria contaminar um rio irá atingir tanto as formas de trabalho da região, quanto a qualidade de vida de muitas pessoas, por ser algo de titularidade coletiva. Por isso, existe uma apólice para reparar e minimizar esse tipo de dano, indenizando tanto o pescador que tem a sua renda atrelada ao rio, quanto qualquer morador da região, porque de alguma forma existe um benefício para quem mora no entorno de um rio limpo.

Todas as atividades estão sujeitas a um tipo de risco ambiental, desde uma fábrica, até uma lavanderia de bairro. Porém, as indústrias químicas, siderúrgicas, alimentícia e de papel e celulose são as que mais demandam esse tipo de produto.

“O Seguro de Riscos Ambientais é um produto recente no mercado brasileiro e único para cada empresa. Cada atividade origina um tipo de risco e gera uma necessidade específica. Por isso, essa fase inicial de consultoria é tão importante no processo de contratação”, comenta Jeferson Bem, superintendente de Riscos Empresariais da TRR.

Para mais informações sobre o seguro ambiental, entre em contato conosco.